Canal – YouTube: Caviar e Ovo Frito

Oi, gente!

Estamos estreando o espaço Caviar e Ovo frito no youtube também. A princípio postaremos apenas poesias, mas dependendo do desenvolvimento iremos seguir as postagens do blog. rs Sejam todos bem- vindos!

Nossa postagem de estreia foi com a poesia Ser Livre. Venha conferir e se inscreva no canal.😉

Beijo e até a próxima.

 

Ser Livre

O que vocês querem que eu fale?
Que cite sabores ou fale de dores ?
Tragédia grega ou tragédia brasileira?
Não posso nem fantasiar da minha maneira?

Querem descobrir se sou deliquente, se sou meliante.
Ah, já sei, quer ver meus passos errantes.
Olha bem, minha vida é uma comédia,
Mas não divina como a de Dante.

Moro no complexo, perto do mangue.
O que? Você falou sangue?
Ah, sangue é de lamber os beiços.

Fale de tiro de HK na cabeça do menó.
É mais prazeroso, fale de crack, fale de pó.
Quem falou em vícios? Não te dei indícios que cheiro loló.

Posso falar de amores?
Amores deixa para os poetas brancos.

Preto tem que expor miséria, putaria mazela.
Pra quantos você deu hoje?
Ah… pra toda favela.

Quem é teu pai, garoto?
Não sei, não tenho pai,

meu pai tá preso,

meu pai tá morto.

Ah… quero falar de flores.
Flores não!
Tu é pobre, atraente, mulher…
deve ter muitas orgias em noites de sábado.
Deixe sabores, amores e flores para Vinicius, Drummond, Jorge Amado.
Tu é preta! É de pica que tu gosta.
Palmatória, mordaça, chibata nas costas.

Fale de abuso, de traumas da infância.
Sem fantasias, sem sonhos, dipirona, doril.
Tu é de ferro, não é mais criança.

Tá bom, vou me abrir, me cortar, me matar, me ferir.
Porque expor minha alma arranhada dói,
Mas sou forte. Eu aguento.
Não tenho mais lágrimas.
Suporto qualquer sofrimento.

Se com as minhas palavras não posso voar.
Onde meus sonhos e devaneios irão parar?

Não importa a idade, cidade.
O que precisamos é oportunidade, liberdade.

Quero ser livre para escrever o que eu quiser.
Ser criança, rei, princesa, bandido, mocinho,
Homem, gay, mulher.
Não sou mais escrava, sou deusa africana.
Sou rainha do Egito, do Sudão, da Guiné.
Sou preta, sou livre, sou mulher.

 

Poesia por Alessandra Martins

Vídeo e direção: Guga Caldwell

 

 

 

 

 

 

 

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s