Poema: Sem rótulos

Não gosto da cor rosa, nem de chorar na frente dos outros, não ando em passos contados, mas adoro desfilar.

Longboard, vida, liberdade. É preciso equilibrar. Se vejo que vou cair, pulo, mas se caio, sorrio ao levantar.

Gente lerda ou muito lenta consegue me irritar, gosto de aprender, admiro o saber, não gosto muito de procurar, mas já me perdi várias vezes, somente para me achar.

Me encontro em meio aos meus livros, pincéis, canetas, bobagens e até futilidades, não gosto de regras e nem de falsidade.

Não gostava de ouvir e nem falava palavrão, mas minha rebeldia infindável me levou a abrir exceções.

Não tomo refrigerante, cerveja é de amargar, odeio o cheiro de jaca, me faz querer vomitar.

Em um oceano paralelo eu sempre estive a navegar. Remando contra as ondas que tentavam me afogar.

Não aprendi a nadar, mas consigo surfar.
E se a maré está alta, eu ando sobre o amar.

Não assisto novelas, poucas vezes televisão.

Casar nunca foi meu grande sonho, e nem temi o bicho-papão, nos meus contos de fadas meu príncipe nunca foi loiro.

Não vou ao banheiro na hora de pagar a conta e nem finjo que vou pagar, às vezes uso salto alto, mas sempre amei um all star.

Poema de Alessandra Martins

20171129_004259.png

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s