Good Morning Mister Turner

Oi, gente!

Saudades!!🤗

Hoje falarei de uma exposição maravilhosa que tive o prazer de conhecer no mês de janeiro. Foi a exposição Good Morning Mister Turner.

20180128_170910

Good morning Mister Turner –É uma exibição anual, que só acontece no mês de janeiro, em Dublin. Época que a luz ainda é suave.

Consegui ir no último de exibição, pois recebi a notificação de um amigo, portanto, aproveitei para a apreciar essa riqueza de exposição.

Esse ano as obras de Turner foram complementadas com as obras do artista irlandês Niall Naessens.

“Inspirado pelas brilhantes evocações de efeitos claros e meteorológicos de Turner.

O trabalho de Naessens justapõe a impressionante beleza da paisagem com os aspectos contemporâneos e mundanos do mundo de hoje, incluindo transformadores de eletricidade e equipamentos agrícolas, tais como espalhadores e tratores. Um catálogo acompanha a exposição.”

20180128_164952

Mas afinal, quem Foi Turner?

Turner – Joseph Mallord William Turner, foi um pintor inglês, que nasceu em 1775, em Londres, sendo considerado um dos mais importantes pintores do século 19.

Desde criança já pintava, fazendo que seu pai expunha em sua barbearia seus desenhos. Porém, aos 20 anos foi contratado por uma revista – Copper Plate Magazine – para fazer ilustrações.

Seu trabalho consistia em viajar pelo interior da Inglaterra, retratando velhos castelos, abadias, catedrais e paisagens. Revelou-se excelente aquarelista, preocupado, sobretudo, com os efeitos de luz.

Mesmo após as diversas mudanças na sociedade inglesas, devido a revolução industrial, Turner se manteve fiel às suas paisagens. Sendo consagrado um dos últimos românticos ingleses.

Entretanto em 1796, quando expôs suas primeiras paisagens a óleo, foi recebido com sucesso.

Assim, em 1799 foi eleito membro da Royal Academy. O sucesso deu-lhe condições para viajar à França e à Suíça, pintando paisagens locais.

Na exposição Good morning Mister Turner, onde há diversas obras das suas viagens por estes países.

20180128_163836

Em 1819 fez uma longa viagem pela Itália, quando se familiarizou com as obras de Canaletto. Portanto, dessa viagem surgiu uma nova fase, a impressionista, que se prolongou até 1840, onde a obsessão pela luz tomou conta de suas telas.

Turner passou a pintar muito as marinhas ou paisagens com muita água, onde a luz podia se refletir. Mal compreendido pelos seus conterrâneos foi chamado de  O pintor do branco.

Suas telas passaram a se constituir de vibrações de luz e movimento; pintava cataclismos cósmicos e passou a interessar-se pelo conflito dos elementos.

Os contemporâneos não o compreenderam, mas para os impressionistas era um mestre, que passava a impressão instantânea registrada pela retina.

Morreu em Londres, em 1851, deixando ao patrimônio nacional toda a sua obra.

20180128_160221

Seu grande mestre, sua maior inspiração foi Claude Lorrain. Ao deixar suas obras à Nação, exigiu que em seu testamento duas de suas obras fossem sempre expostas ao lado de duas obras de Claude Lorrain.

Beijo e até a próxima!⚘🤗

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s