A extrema pobreza no Jardim Gramacho

Mesmo a população de Jardim Gramacho sendo muito pobre, antes, as pessoas tinham uma fonte de renda. Agora, depois que o Aterro foi supostamente desativado,  não mais.

O lixo continua sendo despejado no local de maneira clandestina e famílias vivem em situações de extrema pobreza. Não tendo condições nem de comprar alimentos, moram em meio ao lixo em situação totalmente insalubre.

Onde 91% das casas tem paredes de madeira, 63% dos pisos são de terra batida, 77% das casas entra água pelo telhado quando chove, 93% das casas tem instalações irregulares elétricas, 74% das casas nem sequer tem água encanada e 26% nem banheiro tem.

Devido as condições precárias, famílias vivem com doações de pessoas que se sensibilizam com a situação.