Revista Gueto_Direitos Humanos e Minorias

A Revista Gueto nesta edição especial reuniu 17 poetas em poesia e 17 autores em prosa.

Portanto para nossa alegria, eu estou entre eles. Sinto-me lisonjeada em estar sendo publicada em mais uma revista. E uma revista de tanto prestígio como a Revista Gueto.

Revista Neolatina- Philos – mostra de Poesia Negra Contemporânea

Os textos da Philos, escritos por autores negros do Brasil e de países da África, descrevem a vida diária da população negra em um registro social, antropológico, etnográfico e artístico. Com um olhar penetrante e uma abertura necessária para fazer ecoar as vozes negras de nossa latinidade, a Philos se esforça para atingir um nível de pertinência adequado para estimular o debate sobre as questões raciais no Brasil e no mundo diante das relações e pensamentos que se formam ao avançar de nossas concepções quanto sociedade.

Um trem noturno para Lisboa

No início achei um pouquinho enfadonho, mas depois que entra na história do autor do livro, o filme acaba envolvendo. A trama apresenta parte da história marcada por um regime político autoritário, que causou bastante inquietantação no século passado.  A ditadura de Salazar, em Portugal. Onde ocorreu a revolução dos Cravos, em 1974.

De repente 30

Depois dos 30 é uma nova fase, sendo que agora somos muito mais seguras e temos certeza das nossas escolhas. Nos conhecemos mais. Nosso corpo passa a ser mais admirado, mais tocado, mais amado por nós mesmas.

Garanto que somos mais felizes com nós mesmas do que quando tínhamos 15 anos.

Chegar aos 30 é um pouco assustador, pois iniciamos àquela  fase de olharmos para trás e analisar tudo que já fizemos, o que estamos fazendo e o que iremos fazer. Algumas gritam, choram, se irritam, outras apenas sorriem e respiram fundo para continuar.

Trinta anos assusta um pouco mesmo, mas é uma fase maravilhosa. Passamos ter orgulho de ser quem nos tornarmos, senão é a fase de pararmos e olharmos o que podemos mudar para que consigamos atingir o êxtase da existência.

Flip 2017

A FLIP começou dia 26 de julho indo até o dia 30 de julho – dias esses de muita cultura, palestras, saraus, música, dança. Tudo realmente envolvente.

Esse ano a Flip homenageou o escritor brasileiro Lima Barreto. Homem negro, pobre que lutou a vida toda contra o sistema racista e opressor que o impedia de ser reconhecido como um grande nome da literatura na época.